CNPJ: 16.906.157/0001-10

Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece.Filipenses 4:13

sábado, 30 de junho de 2012

Entre os anos 2000 e 2010, população evangélica cresceu 61%, afirma IBGE. Confira dados

Entre os anos 2000 e 2010, população evangélica cresceu 61%, afirma IBGE. Confira dados
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou dados comparativos entre os censos realizados nos anos 2000 e 2010 sobre religião, e apontou crescimento de 61,45% dos evangélicos nos últimos dez anos.
De acordo com o comparativo, no ano 2000, cerca de 26,2 milhões de brasileiros se declaravam evangélicos, quantidade correspondente a 15,4% da população, e no ano de 2010, a quantidade de brasileiros que se identificaram como evangélicos saltou para 42,3 milhões, ou 22,2% da população do país. Nos dados do censo de 1991, o percentual de evangélicos na população brasileira era de 9%.
Mesmo com esse crescimento, a maioria da população brasileira ainda é católica, embora a perda de fiéis proporcionalmente ao crescimento da população seja constante. Desde o ano em que foi realizado o primeiro censo, 1870, os católicos eram 99,7% da população, e em 2010, somam 73,6% dos brasileiros, de acordo com informações do G1.
O crescimento dos evangélicos está diretamente ligado à diminuição da quantidade de católicos, e nas regiões Norte e Nordeste, o dado comparativo do IBGE aponta com maior clareza esses números.
Entre 2000 e 2010, a maior redução percentual de católicos foi na região Norte, que passou de 71,3% para 60,6% da população, enquanto que os evangélicos saltaram de 19,8% para 28,5%.
Já na região Nordeste, os evangélicos cresceram de 10,3% da população, para 16,4% nos últimos dez anos.
O estado brasileiro com menor percentual de católicos é o Rio de Janeiro, com 45,8%. O estado fluminense também registrou a maior concentração de espíritas do Brasil, com 4% da população.
O estado brasileiro que registra a maior concentração de evangélicos, proporcionalmente, é Rondônia, onde 33,8% dos habitantes se declararam adeptos da doutrina evangélica. O estado do Piauí foi onde a menor presença de evangélicos foi registrada, com 9,7%.
O IBGE divulgou também, dados comparativos entre religião e formação escolar, e dentre os evangélicos, 6,2% não possuem instrução, e 42,3% afirmam ter o ensino fundamental incompleto.
pastor Márcio de Souza comentou a divulgação dos dados e demonstrou preocupação com os reais motivos do crescimento: “Por trás dessa explosão demográfica evangélica, devemos pensar no que tem gerado esse crescimento em nosso meio. Será a ‘fama’ de que crente prospera ou o afã de responder o chamado divino para a ‘Missio dei’? Será que estamos atentando muito para a quantidade e deixado a qualidade de lado?”, questiona Souza.
Segundo o colunista do Gospel+, o parâmetro para visualizar os efeitos do crescimento dos evangélicos é a realidade social: “Um bom termômetro para isso é olhar a situação de desigualdade social e injustiça no país. Quando Calvino pregou o evangelho em Genebra, a cidade deixou de ser um pulgueiro onde pessoas jogavam fezes pelas janelas de casa e passou a ser uma referência de civilidade, justiça social e respeito ao direito do outro. Sem contar que o trabalho foi dignificado e reconhecido como ferramenta de Deus para nos prosperar”, observa.
Para Márcio, o crescimento em números dos evangélicos não tem refletido na sociedade de forma que a transforme: “Hoje, somos 42 milhões e os lixões continuam cheios de crianças sendo exploradas, gente brigando com cães e urubus o pão de cada dia, as favelas continuam a se multiplicar, o tráfico de drogas continua a recrutar nossos meninos e o nosso índice com relação a distribuição de renda e desenvolvimento humano só não é pior que o de Serra Leoa e algumas republiquetas africanas. Se o Evangelho vigente no Brasil seguisse a doutrina dos apóstolos, o país seria outro. Não teríamos pastores milionários e crianças famintas. precisamos pensar se não estamos transformando lobos em bodes ao invés de ovelhas”, critica o pastor.
Para ler a íntegra do artigo “Explosão Evangélica! Somos 42 milhões! E dapi?”, de Márcio de Souza em sua página, acesse este link.
De acordo com o censo, o número de pessoas sem religião cresceu entre os anos 2000 e 2010, passando de 12,5 milhões para 15 milhões.
Confira abaixo, infográficos retirados do site Estadão Dados, com comparativos entre a quantidade e crescimento de adeptos da religião evangélica com as outras religiões no Brasil, entre os anos 1940 e 2010:
Gráfico comparativo de religiões entre os anos 1940 e 2010
Status atual das religiões no Brasil
Fonte: Gospel+

sexta-feira, 29 de junho de 2012

"Pastoreai o rebanho de Deus que há entre vós, não por constrangidos, mas espontaneamente, como Deus quer; nem por sórdida ganância, mas de boa vontade, nem como dominadores dos que vos foram confiados, antes tornando-vos modelos do rebanho. Ora, logo que o Supremo Pastor se manifestar, recebereis a imarcescível coroa da glória." 1 Pedro 5.2-4


Pr. Evaldo de Carvalho

A coroa da glória está destinada primeiramente aos pastores da igreja, aos pregadores. Estes têm uma grande responsabilidade. Eles também são alvos preferidos do diabo. Não critique o seu pregador, mas ore por ele, para que ele pregue a Palavra de Deus no poder do Espírito, e saiba fazer tudo corretamente para um dia também receber a imarcescível, inalterável coroa da glória.
Segundo o meu entendimento, esta coroa da glória também está destinada àqueles que são exemplos na Igreja de Jesus. Você é um exemplo? Pode-se ver a Jesus em você? Você é uma coluna na sua igreja? É da maior importância que Jesus possa crescer em nossas vidas para que nos tornemos exemplos. Não deveríamos continuar sendo sempre bebês, mas deveríamos crescer até a perfeita varonilidade da estatura de Cristo. Para você também está preparada a imarcescível coroa da glória!

Ministério Portas Abertas anuncia terceira edição do Congresso Vamos Orar Juntos

Ministério Portas Abertas anuncia terceira edição do Congresso Vamos Orar Juntos
O ministério Portas Abertas Brasil anunciou que, depois de 10 anos, vai realizar a terceira edição do Congresso Vamos Orar Juntos. O evento ocorrerá entre os dias 22 e 25 de novembro na cidade de Itu, em São Paulo e terá programações específicas para grupo de Parceiros do ministério: jovens, mulheres, voluntários e viajantes.
O encontro de jovens do evento, denominado “Conferência underground 2012”, tem como objetivo anunciado “divulgar a realidade dos cristãos perseguidos, desafiar os jovens a terem um compromisso verdadeiro e radical com Cristo e, consequentemente, com a Igreja Perseguida”.
Quanto à programação voltada para as mulheres, o site de evento anuncia: “Este é o II Encontro das Mulheres do Caminho, ministério que tem a proposta de, através da oração, fortalecer nossas irmãs da Igreja Perseguida e renovar a nós, cristãs livres, o comprometimento com essa missão”.
O evento vai também reunir correspondentes locais e ex-viajantes do grupo com o objetivo de fomentar o trabalho de mobilização e engajamento da Igreja brasileira na causa dos cristãos perseguidos.
Os organizadores anunciaram também a participação do Correspondente Internacional, Paul Estabrooks, autor de “Fuga da Coreia do Norte” e “Noite de um milhão de milagres”, que no evento irá ministrar o curso “Permanecendo Firme Através da Tempestade”, que é normalmente aplicado nos projetos de campo da Portas Abertas, para fortalecimento dos cristãos que sofrem perseguição.
Informações sobre as inscrições podem ser encontradas no site do evento.
Fonte: Gospel+

Junta de Missões Nacionais lança projeto para evangelizar 2,5 milhões de pessoas

Junta de Missões Nacionais lança projeto para evangelizar 2,5 milhões de pessoas
A Junta de Missões Nacionais lançou um projeto que tem como objetivo evangelizar mais de 2,5 milhões de pessoas no Brasil, a organização, ligada à Igreja Batista, pretende reunir em torno de 100 mil voluntários para alcançar a meta proposta, no que eles chamaram de evangelização de impacto.
O início do movimento está previsto para o dia 30 de junho. Serão 500 bases operacionais e em torno de 6250 equipes com 16 participantes cada, o que contabiliza 50 mil duplas, com a meta de evangelizar no mínimo 5 pessoas por dia. Os voluntários estão recebendo treinamento para aprender as melhores formas de evangelizar.
O movimento contará também com a atuação das igrejas locais, para a assistência e realização de curso de discipulado aos novos convertidos.
A previsão é que o período de evangelização dure duas semanas e termine no dia 15 de julho. “Participar desse grande desafio é, acima de tudo, demonstrar o seu amor a Deus, possuir uma vida cheia do Espírito Santo, ter uma autêntica paixão pelos perdidos e forte compromisso com a expansão do Reino”, cita o site da Junta de Missões Nacionais.
Fonte: Gospel+

quinta-feira, 28 de junho de 2012

"Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé. Já agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, reto juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a sua vinda." 2 Timóteo 4.7-8


Pr. Evaldo de Carvalho
Aqui é mencionada a condição para receber a coroa da justiça: "guardar a fé". Não temos segurança na nossa fé em si, mas no conteúdo e no objeto da nossa fé, o qual é o próprio Senhor Jesus Cristo! Quando tudo o que é visível desmorona, Ele permanece. Agarre-se nEle em todas as circunstâncias, embora haja tempestade e rujam as ondas, de modo que um dia, no fim da sua vida, você possa dizer: "guardei a fé".
A segunda condição para receber a coroa da justiça diz: amar a Sua vinda, isto é, esperar com grande ansiedade e crescente desejo a vinda do Senhor Jesus. Você tem esse anseio? Esta é a melhor prova de que você pertence a Ele e de que vive na santificação. Você se alegraria se Jesus voltasse hoje? Diga "amém" se você ama a Sua vinda. Ele virá em breve!

Oração do Coração

Oração do Coração
A oração do coração consiste no encontro com o coração de Deus. Falamos e ouvimos com o coração, conforme Os. 2:14 “Eu a atrairei, e a levarei para o deserto e lhe falarei ao coração”. Alguns conflitos podem acontecer ao pretendermos falar ao coração de Deus. Jesus afirmou “Bem aventurados os limpos de coração porque verão a Deus”. Confessar a Deus os nossos pecados e receber o perdão de Deus capacita-nos a falar com todo o coração ou seja, com toda a verdade de consciência.
A oração com a mente pretendendo falar à mente de Deus faz-nos cair na tentação de querermos explicar aquilo que Deus já de antemão sabe. Deus nos conhece e sabe tudo a nosso respeito antes de lhe falarmos e por esta única razão é que oramos com o coração. Há um princípio no didaquê nos ensinos Patristicos sobre a oração no coração que compreende duas características principais.
Primeiro devemos de usar breves sentenças quando oramos com o coração e isto porque de antemão sabemos que Deus já sabe tudo o que lhe vamos pedir. Quando um rapaz diz a uma moça que gosta dela, ela entendeu tudo. No coração da moça ela compreende toda a afeição e toda a sublimidade daquela declaração. Se o amor do rapaz é sincero ela não terá dúvidas no coração. A segunda característica da oração do coração consiste em “orar sem cessar” como escreveu o apóstolo Paulo. Voltemos ao exemplo anterior. O rapaz talvez pensasse que a moça lhe responderia prontamente à sua declaração. A moça por um período de tempo pensou naquela declaração que o rapaz lhe fez. Pensou profundamente pois queria responder à declaração de acôrdo com a verdade do rapaz. Compreendemos agora que orar sem cessar é fortalecer a fé. Orar sem cessar não é uma vã repetição mas uma declaração da nossa confiança de que Deus irá atender-nos. Lembremos o que Pedro disse a Jesus. “Senhor tu sabes que eu te amo”. Orar no coração é o envolvimento do nosso coração com o coração de Deus e até também Deus a orar no nosso coração. Foi deste modo que Jesus, por três vezes perguntou a Pedro se êle O amava pois também Jesus tinha um pedido a fazer ao coração de Pedro. João 21:17. Disse-lhe terceira vez: Simão, filho de Jonas amas-me? Simão entristeceu-se por lhe ter dito terceira vez; amas-me? e disse-lhe: Senhor tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo. Jesus disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas.
Casal com uma missão,
Amilcar e Isabel Rodrigues

quarta-feira, 27 de junho de 2012

"Bem-aventurado o homem que suporta com perseverança a provação; porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que o amam." Tiago 1.12


Aqui vemos duas condições para receber a coroa da vida. Primeiro, suportar a provação. Seguir o Senhor Jesus não significa estar livre de tentações. Pelo contrário! Existem as tentações no espírito que muitas vezes são túneis bem escuros pelos quais nós, como filhos de Deus, temos que passar em nossa vida. Nesses momentos parece que o Senhor está bem distante, mas é justamente aí que Ele está bem próximo de nós! Justamente aí a mão traspassada de Jesus nos mantém em pé. Mas também existem as tentações da alma, quando somos colocados em situações que abalam nossas emoções, quando somos afligidos por depressões. Mas está escrito que Jesus mora em nossos corações "pela fé", portanto não por meio dos sentimentos! Além disso, também há as tentações do corpo, em que somos afligidos por poderes da enfermidade. Porém o Senhor Jesus é o grande médico.
A segunda condição para receber a coroa da vida é que O amemos. Podemos crer em Jesus, podemos falar dEle com convicção, podemos nos esforçar para segui-lO, mas o Senhor tem interesse, em primeiro lugar, que O amemos de verdade. Você ama a Jesus? Seu coração bate mais rápido quando se lembra dEle? A Palavra de Deus promete: "O Senhor guarda a todos os que o amam."

Lei que institui aulas de ensino religioso em escolas públicas causa polêmica no Rio de Janeiro

Lei que institui aulas de ensino religioso em escolas públicas causa polêmica no Rio de Janeiro
No segundo semestre desse ano os alunos da rede municipal de ensino do Rio de Janeiro passarão a ter aulas de ensino religioso específicas para as religiões: católica, evangélica, espírita e afro-brasileiras.
Tais aulas serão ministradas em um modelo confessional, e para tal a prefeitura já realizou concurso para a contratação de 100 professores, sendo 45 docentes católicos, 35 evangélicos, dez espíritas e dez de religiões afro-brasileiras.
A iniciativa da Secretaria Municipal de Educação é consequência de uma lei, proposta pelo próprio Executivo, aprovada em outubro do ano passado pela Câmara e sancionada logo em seguida pelo prefeito Eduardo Paes. E por se tratar de aulas confessionais só poderão participar os estudantes cujos pais deram autorização, durante a pré-matrícula. Para as outras crianças, haverá “educação para valores” (apresentação de temas ligados à ética e à cidadania) durante o período vago.
O texto da lei permite a contratação de até 600 docentes e determina que estes “devem ser credenciados pela autoridade religiosa competente, que exigirá formação obtida em instituição por ela mantida ou reconhecida”, segundo o jornal O Globo.
A lei tem causado polêmica e a discussão em torno de sua validade constitucional coincide com uma discussão que está em pauta no Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília. No STF a discussão gira em torno de uma ação direta de inconstitucionalidade da Procuradoria Geral da República contra o texto de um acordo firmado no governo Lula com a Santa Sé, dizendo que “o ensino religioso, católico e de outras confissões religiosas, de matrícula facultativa, constitui disciplina dos horários das escolas públicas de ensino fundamental”.
O coordenador do Observatório da Laicidade do Estado, da UFRJ, Luiz Antônio Cunha, é uma das pessoas que se colocou contra o ensino religioso confessional. Segundo ele há uma espécie de desistência do Estado de assumir suas atividades pedagógicas ao transferi-las para instituições religiosas. “Os professores das escolas públicas são pagos por todo o povo, através de impostos, inclusive daquelas pessoas que não têm religião”, afirma.
O bispo auxiliar e referencial para ensino religioso da Arquidiocese do Rio, dom Nelson Francelino Ferreira defendeu o modelo que está sendo implementado no município, afirmando que a educação tem que estar voltada para o desenvolvimento integral do ser humano.
As novas aulas foram criticadas também pelo coordenador do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Rio de Janeiro (Sepe), o professor Sérgio Paulo, que disse que a iniciativa da prefeitura é inconstitucional, segundo informou a Agência Brasil. O professor afirma que a lei fere o princípio republicano. “Uma das coisas que caracterizou a superação do Império e início da República foi a separação da educação pública do ensino religioso”, destaca.
Afirmando que o sindicato já pediu ao Ministério Público estadual (MP-RJ) que analise a constitucionalidade da lei, o professor afirma: “Ela [a lei] tem dois problemas inconstitucionais do nosso ponto de vista: um é o de concepção, religião não pode ser ofertada obrigatoriamente em escola pública. Deve ser uma interação familiar do aluno e da aluna. Outro problema é que a lei exclui várias religiões minoritárias. Isso é um preconceito oficial”.
Fonte: Gospel+

terça-feira, 26 de junho de 2012


A Verdade Sobre a Criaçao

Estas são as origens dos céus e da terra, quando foram criados: no dia em que o Senhor Deus fez a terra e os céus” (Gn 2.4; Almeida Revista e Corrigida).
Esse versículo-chave de Gênesis não apenas resume o capítulo inicial do livro, como também introduz o segundo capítulo. Observe que os céus e a terra foram “criados” quando Deus os “fez”.
Pelo versículo anterior, fica claro que esses dois verbos (i.e. criar e fazer) não são meros sinônimos, pois nele está escrito: “E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra, que Deus criara e fizera” (Gn 2.3; ARC). Ainda que a diferença entre criar e fazer seja quase imperceptível, no caso dos atos de Deus tal diferença é bastante relevante.
No texto original, o verbo “criar” provém do termo hebraico bara’ e o verbo “fazer” deriva do termo hebraico “asah”. A distinção fundamental reside no fato de que somente Deus pode “criar”, ao passo que, tanto o ser humano quanto Deus são capazes de “fazer” sistemas funcionais a partir de entidades básicas previamente “criadas”. Desse modo, sempre que a Bíblia fez uso do termo “criar”, o sujeito declarado ou implícito é Deus. Por outro lado, os termos “fazer” e “fez” geralmente têm o ser humano (como também Deus) na qualidade de sujeito da ação, a exemplo de Adão e Eva quando “...percebendo que estavam nus, coseram folhas de figueira e fizeram cintas para si” (Gn 3.7) numa tentativa de se esconder de Deus depois que pecaram. Mais tarde, “fez o Senhor Deus vestimenta de peles para Adão e sua mulher e os vestiu” (Gn 3.21).

Os Três Atos de Deus

É relevante o fato de que somente três atos divinos de criação são mencionados no magnífico capítulo introdutório da Bíblia que trata da criação. Os atos divinos de criação são os seguintes:
1. “No princípio, criou Deus os céus e a terra” (Gn 1.1). Essa maravilhosa declaração resume o ato de Deus de trazer à existência a estrutura física do cosmo: o universo tridimensional composto de tempo, espaço e matéria.
2. “Criou, pois, Deus [...] todos os seres viventes...” (Gn 1.21). Esse versículo sintetiza o ato de Deus de trazer à existência o componente biológico do universo: a vida animal consciente.
3. “Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou” (Gn 1.27). Aqui está o registro da criação do componente espiritual do universo, criadoex nihilo (i.e., “a partir do nada”): a “imagem de Deus” localizada única e exclusivamente no ser humano.
Os códigos genéticos de uma espécie permitiam bastante variação (afinal, não existem dois indivíduos perfeitamente idênticos), permitiam até mesmo uma “diversidade” estável, porém nada mais do que isso.
Assim, Deus criou somente as realidades fundamentais do universo – a realidade física, a realidade biológica e a realidade espiritual. Porém, a partir dessas entidades fundamentais, Deus continuou a fazermuitos sistemas complexos. Por exemplo:“Fez, pois, Deus o firmamento [...] Fez Deus os dois grandes luzeiros [i.e., o sol e a lua] [...] e fez também as estrelas [...] E fez Deus os animais selváticos, [...] os animais domésticos, [...] e todos os répteis da terra...” (Gn 1.7,16,25).
Entretanto, no que tange ao universo espiritual, o único sistema complexo feito por Deus foi o ser humano, como está escrito: “Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança [...] Criou Deus, pois, o homem à sua imagem...” (Gn 1.26-27). Nesse caso, o homem tanto foi criado quanto feito à imagem de Deus; foi criado como um ser espiritual, capaz de manter comunhão com Seu Criador. O ser humano também foi feito (a partir “do pó da terra” previamente criado; cf. Gn 2.7) à imagem física que o próprio Deus um dia assumiria quando “se fez carne” e tornou-se homem.
Portanto, os elementos de natureza estritamente material que existem no mundo (o que inclui até mesmo os vegetais que, sendo organismos complexos, produzem substâncias químicas, todavia não possuem vida consciente) fazem parte da obra física criada e feita por Deus. Por outro lado, os animais são organismos físicos e biológicos criados e feitos por Deus. Contudo, somente o homem e a mulher são seres físicos, biológicos e espirituais, criados e feitos à imagem de Deus.

A Descrição da Evolução

Tudo o que foi apresentado até aqui parece razoável e bíblico. Mas o que dizem os cientistas a esse respeito? É lamentável que, hoje em dia, a maioria das autoridades científicas e educacionais esteja quase totalmente comprometida com o evolucionismo integral. Eles alegam que, através de um salto quântico espetacular, o universo físico evoluiu do absoluto nada para uma partícula infinitesimal de espaço-tempo. Essa partícula primitiva dilatou-se rapidamente para, então, explodir no, assim chamado, Big Bang [i.e., explosão cósmica]. A partir disso, dizem eles, o universo veio se expandindo velozmente para formar, de alguma maneira, as estrelas, as galáxias e, por conseguinte, os planetas.
Em nosso planeta Terra (e, talvez, em outros planetas), as substâncias químicas inanimadas, que estavam dispersas nos oceanos primitivos, de algum modo passaram a ter vida, na condição de células reprodutivas rudimentares. Estas se desenvolveram em seres invertebrados marinhos multicelulares que evoluíram até se tornarem peixes. Alguns peixes deram origem aos anfíbios, os quais, posteriormente, se tornaram répteis. Destes últimos, pelo menos um evoluiu, dando origem às aves, enquanto outros répteis evoluíam para dar origem aos mamíferos. Por fim, um ramo de mamíferos desenvolveu-se em primatas e alguma criatura dessa ordem simiesca evoluiu para dar origem ao ser humano.
Acredite ou não, essa descrição da evolução é basicamente ensinada como fato ou verdade absoluta em quase todas as escolas do Mundo Ocidental, desde as primeiras séries do ensino fundamental até o ensino superior e de pós-graduação. Essa perspectiva também predomina na mídia jornalística, bem como exerce seu domínio nos sistemas jurídico e político.
Contudo, o fato mais surpreendente é que as verdadeiras evidências científicas não comprovam de modo nenhum tal descrição hipotética. Em conseqüência disso, nos últimos anos milhares de cientistas altamente referendados têm repudiado toda essa descrição evolucionista e passaram a crer numa criação especial.
Esse maravilhoso capítulo inicial de Gênesis também revela dois outros fatos de vital importância.
O primeiro fato é que no texto constata-se, por dez vezes, que tanto animais quanto vegetais receberam a capacidade de se reproduzir exclusivamente “segundo [ou conformea sua espécie”, nunca segundo uma espécie diferente. A despeito de tudo o que uma “espécie” criada por Deus possa significar ou corresponder, ela nunca poderia evoluir para uma nova espécie. Os respectivos códigos genéticos permitiam bastante variação (afinal, não existem dois indivíduos perfeitamente idênticos), permitiam até mesmo uma “diversidade” estável, porém nada mais do que isso.
No registro fóssil do passado (que conta com bilhões de fósseis conhecidos) há muitos exemplos de espécies extintas (por exemplo, os dinossauros), todavia não existe nenhuma seqüência de transição de uma espécie menos complexa para outra espécie mais complexa.
O segundo fato verificável no texto é que tudo “era muito bom” (Gn 1.31). Não existia nada ruim ou mau em todo o universo – não havia pecado, desarmonia, dor e, em especial, não havia morte. Tudo isso sobreveio ao universo somente depois da entrada do pecado, primeiro através de Satanás e seus anjos, e, posteriormente, através de Adão e Eva.
Em seguida, Deus amaldiçoou o solo da terra (do hebraico, ’adamah; i.e., os elementos básicos a partir dos quais Ele tinha feito todas as coisas). Em 1 Coríntios 15.21 está escrito “...que a morte veio por um homem”. Desde então, “...toda a criação, a um só tempo, geme e suporta angústias até agora” (Rm 8.22). Na esfera física tudo tende a retornar ao pó do qual foi feito, tal como o corpo de Adão retornou (cf., Gn 3.19). Todas as formas de vida biológica finalmente morrem, ainda que o aspecto “consciente” da vida humana sobreviva para que, no fim, seja unido a um corpo ressuscitado por ocasião da volta de Cristo. A “imagem de Deus” no homem tem sido desfigurada, contudo, ainda pode ser refeita no “...novo homem que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou” (Cl 3.10).

O Dilema da Evolução

A verdadeira ciência não confirma a perspectiva evolucionista; em vez disso, a ciência verdadeira favorece a perspectiva bíblica da criação. Por exemplo, as duas leis científicas mais bem comprovadas e mais aplicáveis no universo apontam com absoluta clareza para a primitiva criação do universo, não para a evolução deste a partir do nada. São elas: A Primeira Lei da Termodinâmica e a Segunda Lei da Termodinâmica, ou como respectivamente são chamadas de lei da conservação quantitativa e lei do decaimento qualitativo de todas as coisas. A Primeira Lei assegura que nem matéria (ou massa), nem energia, continuam a ser criadas ou destruídas na atualidade, conforme está registrado em Gênesis 2.3: “E abençoou Deus o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou de toda a obra que, como Criador, fizera”. O Novo Testamento confirma que agora nosso Criador está “...sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder” (Hb 1.3).
Tal fato nos assegura que o universo não poderia ter criado a si mesmo, pois, segundo aPrimeira Lei da Termodinâmica, nenhum fator no atual curso do universo pode criar alguma coisa. Contudo, o universo deve ter sido criado em algum momento do passado, porque aSegunda Lei da Termodinâmica assevera que tudo está em declínio, rumando para a estagnação e “morte”. Essa situação também é obviamente uma decorrência da maldição imposta por Deus sobre “toda a criação” (cf., Rm 8.22).
Ora, se o universo não pôde se criar espontaneamente (conforme determina a Primeira Lei),mas teve de ser criado de alguma maneira (visto que não está morto, ainda que se encaminhe inexoravelmente para a morte, conforme determina a Segunda Lei), a única resposta para tal dilema é a de que Deus o criou! Essa é a conclusão científica mais plausível com base nas melhores leis científicas de que dispomos.
Essa Segunda Lei também esclarece a razão pela qual ninguém até hoje experimentou qualquer tipo de evolução verticalmente “ascendente” a partir de uma espécie inferior ou menos complexa para uma espécie superior ou mais complexa. Em toda a história humana não há sequer um registro documentado da tal “macroevolução”. Há muitos casos de variação “horizontal” (por exemplo, as diferentes raças de cães) de variação degenerativa (por exemplo, mutações, extinções, deteriorações), porém, nada mais do que isso.
No registro fóssil do passado (que conta com bilhões de fósseis conhecidos) há muitos exemplos de espécies extintas (por exemplo, os dinossauros), todavia não existe nenhuma seqüência de transição de uma espécie menos complexa para outra espécie mais complexa. Ernst Mayr, professor da Universidade de Harvard, reconhecido como um dos maiores biólogos evolucionistas ainda vivos e que se declara ateu, admite o seguinte em seu recente livro publicado: “O registro fóssil lamentavelmente continua inadequado” para comprovar a evolução.[1] Além do mais, todos aqueles bilhões de fósseis testificam eloqüentemente acerca de um mundo em sofrimento e degradação mortal. Portanto, esses fósseis devem ter sido enterrados somente depois que o homem introduziu o pecado no mundo.
A evolução da vida ou de qualquer espécie viva nunca foi registrada nos 6 mil anos de história escrita e não há nenhuma evidência dela no registro fóssil do passado. A evolução nunca foi observada empiricamente pelo simples fato de que não pode acontecer. A Segunda Lei da Termodinâmica nos assegura que seria impossível ocorrer qualquer tipo de evolução sem a intervenção incessante e milagrosa de Deus. Além do mais, Deus mesmo determinou a lei biogenética de que [a reprodução] seja “segundo a sua espécie” (cf. Gn 1.11-12, 24-25).
Deus pode intervir quando há uma razão especial para fazê-lo. Por exemplo, houve uma ocasião em que Ele miraculosamente fez com que água “evoluísse” instantaneamente para vinho (Jo 2.7-11). Ele continua a ser o Criador e, como tal, ainda pode realizar milagres de criação quando a ocasião o justifica, porém, a evolução, usada geralmente pelo ser humano para se esquivar da sua necessidade de Deus, não é um desses milagres. (Dr. Henry M. Morris - Israel My Glory)

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Artigo destaca os 5 maiores mitos sobre a perseguição religiosa a cristãos

Artigo destaca os 5 maiores mitos sobre a perseguição religiosa a cristãos
Instituto Humanitas Unisinos reproduziu um artigo que faz uma análise de um discurso do Papa Bento XVI em que o líder católico destacou a liberdade religiosa com ênfase nos cristãos perseguidos em todo o mundo. A análise foi feita por John L. Allen Jr., publicada no sítio National Catholic Reporter, 13-01-2012. A tradução é de Moisés Sbardelotto.
O primeiro mito combatido pelo texto é o de que “os cristãos são vulneráveis apenas quando são minoria”. Para combater essa ideia, o artigo cita como exemplo que entre os católicos, dos “26 que perderam suas vidas em 2011, apenas um morreu em um país onde os cristãos são uma minoria: o padre salesiano Marek Rybinski, morto na Tunísia, em fevereiro”. E cita ainda que a Colômbia, sexto maior país cristão do mundo, foi lugar mais perigoso do mundo para ser um agente de pastoral católico em 2011.
“Em qualquer lugar em que os cristãos professam a sua fé abertamente, tomam posições contra a injustiça ou se colocam em perigo por causa do Evangelho, eles estão em risco – seja qual for a demografia religiosa do lugar”, conclui.
O mito de que toda perseguição a cristãos é relacionada ao islamismo foi outro ponto abordado. Apesar de uma grande parcela de perseguidores do cristianismo serem realmente muçulmanos, foram lembradas outras fontes de animosidade anticristã, entre as quais podemos destacar: o ultranacionalismo (como na Turquia, onde nacionalistas extremistas tendem a ser uma ameaça maior do que os islamistas), os Estados totalitários, especialmente do âmbito comunista (China, Coreia do Norte), o radicalismo hindu e budista, o crime organizado, interesses corporativos e até mesmo a perseguição de grupos cristãos que seguem linhas teológicas diferentes.
“Ninguém a viu chegar”. A chamada do terceiro tópico alerta para o fato de que os atos de violência decorrentes da perseguição religiosa não são imprevisíveis, e podem ser prevenidos.
Combatendo o mito de que “só é perseguição se os motivos forem religiosos”, o texto destaca que “muitos teólogos acreditam que o martírio deveria incluir não apenas as mortes por ódio à fé, mas também o ódio a virtudes essenciais para a fé”.
Por fim o texto cita o mito de que “a perseguição anticristã é uma questão da direita”, afirmando que a posição política não tem um peso tão grande nesses casos como já teve no passado em países como os Estados Unidos, e conclui dizendo que “defender os cristãos perseguidos dificilmente é um esforço que deve preocupar apenas a direita política e teológica. Delinear a perseguição anticristã como um jogo político não é apenas uma obscenidade, mas também factualmente impreciso”.
Fonte: Gospel+

sábado, 23 de junho de 2012

"...No qual temos a redenção, pelo seu sangue, a remissão dos pecados, segundo a riqueza da sua graça." Efésios 1.7


Pr. Evaldo de Carvalho

O Senhor consumou tudo! Ele tirou totalmente o poder de toda hierarquia do inferno, de Satanás com todos os seus principados! Mas assim mesmo inúmeros crentes vacilam em colocar seus pés no terreno do Calvário, hesitam em reivindicar para si mesmos o ilimitado poder vitorioso da salvação consumada por Jesus Cristo – e isso em todas as áreas da vida. Você não tem em si mesmo o poder de se livrar de todo o tipo de comportamento compulsivo e de desvios de conduta. Mas você pode – pela fé – colocar seus pés no terreno do Calvário – como Israel na antigüidade – e passo a passo tomar conta do terreno da salvação. Desta maneira, você reivindica e toma posse de um poder que se encontra fora da sua própria pessoa: o maravilhoso, inconcebível e ilimitado poder do precioso sangue de Jesus.
Está na hora de você finalmente começar a reivindicar para você pessoalmente o terreno da salvação, que foi ganho para nós por meio de Jesus Cristo na cruz do Calvário, pois para você também vale: "...ainda muitíssima terra ficou para se possuir."

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Teólogo: “frase Deus é fiel manifesta ideia de que desejos devem ser satisfeitos”. Leia na íntegra

Teólogo: “frase Deus é fiel manifesta ideia de que desejos devem ser satisfeitos”. Leia na íntegra
A diferença entre antropocentrismo e teocentrismo foi tema de artigo publicado pelo teólogo Wesley Moreira em seu site.
De acordo com o teólogo, o antropocentrismo insere o homem e seu ego no centro das questões, enquanto que o teocentrismo mantém Deus no foco de tudo.
De acordo com Moreira, a diferença entre ambos tem se tornado sutil, e exemplifica usando um chavão evangélico: “‘Deus é Fiel!’ Nenhuma frase de adesivo de para-choque evidencia mais o confuso momento antropocentrista da igreja moderna. Músicas, sermões, gritos de triunfo, livros, chavões e campanhas são criadas para ‘propagandear’ essa óbvia característica do caráter Divino”, aponta.
Segundo Wesley Moreira, formado em teologia pela Fundação Cristã Educativa, a infidelidade é impossível da parte de Deus, e por isso, a frase “Deus é fiel” toma outro sentido: “Seria o contrário possível? Seria Ele Deus, não fosse Ele fiel? Dado a impossibilidade da infidelidade de Deus, a frase de efeito ‘Deus é Fiel’ manifesta outra ideia. De que a fidelidade de Deus somente pode ser experimentada quando os desejos dos crentes forem satisfeitos”.
Apontando distorções bíblicas trazidas pelos atuais líderes cristãos, Moreira critica a forma como pregadores utilizam frases de efeito a respeito da vontade de Deus: “Pregam ainda, ‘Deus vai satisfazer os desejos do seu coração’, ignorando as palavras de Jesus: ‘Porque do coração (do homem) procedem os maus pensamentos, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias’. Mateus 15:19”.
Confira abaixo, a íntegra do artigo “Deus é Fiel, e você” do teólogo Wesley Moreira:
Há 11 anos atrás eu perguntei em um grupo familiar; “Houvera Deus nos dado somente a salvação em Jesus Cristo não seria isso mais que suficiente para adora-lo e servi-lo em amor?” Abençoei uns, choquei alguns e escandalizei outros.
Essa semana, passada uma década, conversava eu com um velho amigo ouvindo dele sobre seu sucesso ministerial. Me alegrei com ele somente para alguns segundos depois ouvir de sua boca a frase que motivou esse texto. Ele me disse: ‘Deus tem sido fiel!’.
É a ‘fidelidade de Deus’ ou nossa ‘fidelidade à Deus’ que deve ocupar nossa mente? Entre uma e outra sentença está o abismo que separa o antroponcentrismo e o teocentrismo. Qual das duas sentenças ocupa o centro da nossa vida espiritual e qual delas influencia o nosso caminhar nessa vida?
Podemos rapidamente e superficialmente definir o antropocentrismo como a idolatria do Eu, do ego e da vontade do homem, enquanto o teocentrismo centraliza Deus e Sua vontade acima de todas as coisas.
‘Deus é Fiel!’ Nenhuma frase de adesivo de parachoque evidencia mais o confuso momento antropocentrista da igreja moderna. Músicas, sermões, gritos de triunfo, livros, chavões e campanhas são criadas para ‘propagandear’ essa óbvia caracteristica do caráter Divino.
Seria o contrário possivel? Seria Ele Deus, não fosse Ele fiel? Dado a impossibilidade da infidelidade de Deus, a frase de efeito ‘Deus é Fiel’ manifesta outra ideia. De que a fidelidade de Deus somente pode ser experimentada quando os desejos dos crentes forem satisfeitos.
Desrespeitando toda boa contextualização eles vão depenando a Bíblia em busca de promessas isoladas feitas pessoalmente à certos personagens bíblicos, usurpando-as para si como promessas para si mesmos. Assim também eles tomam as generalizações nas cartas de Paulo, escritas no plural referentes a Igreja, como individualizações no singular a serem cobradas para si mesmos, chegando ao cúmulo de dizer: “Deus cumpra Tua palavra a mim ou eu rasgo a Bíblia”.
Não foi essa geração que transformou todo o conteúdo do coracão do homem em vontade de Deus? “Tudo o que está no seu coração é semente de Deus para sua vida”, pregam ainda, “Deus vai satisfazer os desejos do seu coração,” ignorando as palavras de Jesus:
Porque do coração (do homem) procedem os maus pensamentos, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias. Mateus 15:19
A prova da eficácia da pregação antropocentrica é que realmente tudo que está no coração do homem se tornou realidade, fato denunciado pela quantidade de “maus pensamentos, homicídios, adultérios, prostituições, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias” hoje no meio evangelico, nos ministros e seus ministerios. A mensagem foi ouvida!
Não foi essa geração de crentes que transformou o jejum de uma manisfetação de arrendimento e humilhação para com Deus numa espécie de greve de fome para chantagear a Deus afim ter seus desejos satisfeitos?
Estes muito pecam quando substituem nossa fidelidade a Deus pela lealdade à igreja local. Que cada um encontre uma igreja local para com os irmãos servir a Deus. Contudo, ser fiel a igreja local, vem muito depois da nossa fidelidade à Deus e a sua palavra.
Na centralização do homem e seus desejos acima da vontade de Deus, a responsabilidade em ser fiel é de Deus não do homem, que por sua vez é infiel a Deus todos os dias, mesmo sendo fiel a sua igreja.
A graça deixou de ser um favor imerecido, como na boa e antiga definição, e foi transformada em um direito de questionar a fidelidade de Deus com base no cumprimento de promessas mau contextualizadas. Deus por sua vez exige fidelidade. Ele nos deixou mandamentos a cumprir. Mesmo o mais fanático Darbiano-dispensacionalista encontrará vários mandamentos de Jesus nos evangelhos. Disse Jesus:
Se me amardes, guardareis os meus mandamentos. João 14:15
O mesmo disse também Deus: Guardareis os meus mandamentos, e os cumprireis. Eu sou o Senhor. Leviticos 22:31
Jesus que nunca questionou a fidelidade de Deus, questionou nossa fidelidade à Deus. Digo na ousadia da minha imaginação, houvera Jesus tido um veículo, no seu parachoque haveria um adesivo que traria as seguintes palavras:
“É você Fiel a Deus?”
Como me recuso a criticar para destruir. A solução para o antropocentrismo praticado pela igreja está na volta à leitura da bíblia e da oração. Abandonem os livros evangélicos, e as bíblias de estudo induzido, seja estes quais for, para priorizar uma leitura diária da bíblia. Leia a bíblia como devocional diário, como adoração e não como um livro de estudos. Ore antes e depois da leitura. Ao não entender determinado assunto, não pare a leitura, continue lendo e confie no Espírito Santo que te guiará a toda a verdade.
PS. Meus amigos cubanos, fugitivos do regime de Castro, porém ateus, sempre me dizem ironicamente “Dios és Fidel”.
*Wesley Moreira, teólogo formado pela Fundação Cristã de Educativa, e pós graduando em teologia no World Harvest Bible Institute e também no Way of the Master School of Evangelism.
Fonte: Gospel+

SEJA SOLIDÁRIO, E COLABORE!


Pesquisa revela que evangélicos leem o dobro da população em geral

Pesquisa revela que evangélicos leem o dobro da população em geral
Um estudo realizado recentemente, revelou que os evangélicos brasileiros estão lendo mais, segundo a pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”, incentivados pela leitura bíblica, os evangélicos leem o dobro da população em geral.
É o caso da contabilista Carolina Dias, que contou um pouco da sua experiência com a leitura, “De fato, conforme você vai lendo, vai querendo saber mais. Acredito que isso aconteça com aqueles que desejam conhecer mais a Deus. Foi o que aconteceu comigo. Eu não gostava mesmo de ler, mas, a partir da leitura da Bíblia, que foi escrita por homens inspirados por Deus, também comecei a ler outros livros que complementasses os ensinamentos.”, relata a jovem de 25 anos.
A perspectiva de crescimento é ainda maior, só no Brasil, são produzidas cerca de 8,5 milhões de Bíblias por ano. O comércio de livros evangélicos também tem crescido expressivamente, principalmente por causa da ascensão da classe C e também pelo crescimento da população evangélica no país.
Segundo informações da Câmara Brasileira de Livros (CBL), o segmento de livros evangélicos representou 14,7% no índice de faturamento do mercado no ano de 2011, o que representou um faturamento de R$479 milhões. Já para 2012, a projeção é crescimento, com a previsão de que os livros cristãos alcancem a marca de R$548 milhões de faturamento.
Fonte: Gospel+

"Se alguém não permanecer em mim, será lançado fora à semelhança do ramo, e secará; e o apanham, lançam no fogo e o queimam." João 15.6

Se nos perguntamos: "Será que hoje Deus ainda quer dar um avivamento?", percebemos o que devemos fazer. Pois o contrário de avivamento é um coração rebelde, o lento entorpecimento e, por fim, a morte espiritual. Crentes tornam-se ramos inúteis, que não servem para mais nada do que serem lançados no fogo para serem queimados. A essência das palavras de Jesus é clara: em todo tempo somos testemunhas de Jesus, ou a favor dEle ou contra Ele. Pois um ramo na videira é um ramo destinado a dar frutos. Quando encosto o meu ouvido à Bíblia, ouço, pelo Espírito Santo de Deus, o chamado para o avivamento dos cristãos que atualmente vegetam, e, como que sonhando, estão sem poder, sem autoridade e sem frutos. Por que você acha que tantas doutrinas erradas e demoníacas experimentam um avanço tão poderoso hoje em dia? Porque falta o movimento contrário, que vem do alto, através do Espírito de Deus, por intermédio de crentes fervorosos. Por isso o Espírito Santo tenta despertar e animar você nesse instante: "...arai o campo de pousio; porque é tempo de buscar ao Senhor."

quarta-feira, 20 de junho de 2012

SANTA CEIA, SÁBADO DIA 23/06



Ex-terrorista palestino convertido ao cristianismo planeja lançar filme “para expor a verdadeira natureza do islamismo”

Ex-terrorista palestino convertido ao cristianismo planeja lançar filme “para expor a verdadeira natureza do islamismo”
O ex-terrorista palestino Mosab Hassan Yousef, conhecido como “Filho do Hamas”, se converteu ao cristianismo e pretende lançar um filme contando a verdadeira face do islamismo.
Yousef é filho de um dos fundadores do Hamas, organização que luta pela soberania do Estado Palestino e organiza atentados contra Israel, e após ser preso e torturado por autoridades israelenses, tornou-se espião do governo de Israel dentro do Hamas, ajudando a prender diversos terroristas.
A atitude de Mosab Hassan Yousef o fez ser considerado traidor por seus compatriotas, e também resultou no rompimento entre ele e seu pai, que o deserdou.
Ameaçado de morte, Yousef se mudou para os Estados Unidos, se converteu ao cristianismo e escreveu sua autobiografia, intitulada “Filho do Hamas”, que se tornou Best seller. Passados cinco anos, foi convidado pelo jurista árabe Ayoob Kara, para dar palestras em universidades israelenses sobre suas experiências.
Para Yousef, “este é o momento para expor a verdadeira natureza do Islã. O Islã não é uma religião de paz. O Islamismo é uma religião de guerra e a maioria dos muçulmanos não entende a verdadeira natureza do Islã. Eu gostaria de anunciar isso aqui em Jerusalém, próximo ao Monte do Templo”, afirmou, de acordo com informações da emissora de TV cristã norte-americana CBN.
O ex-terrorista afirma não ter vergonha de sua conversão, apesar da perda das relações com sua família: “Normalmente as pessoas têm vergonha quando fazem algo errado. As pessoas gostam de viver na escuridão… Eu vivo na luz. Eu não fiz nada de errado, estou ajudando a salvar vidas”, afirmou.
Confira abaixo a entrevista dada por Mosab Hassan Yousef ao jornalista Jorge Pontual, da Globo News:
Fonte: Gospel+

"Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam." 1 Coríntios 2.9

Pr. Evaldo de Carvalho
O que nos trará o primeiro dia na eternidade? Se juntos quisermos analisar esse ponto, só ficaremos com suposições. Mas a Bíblia nos diz algo bem concreto, ou seja: "...havemos de vê-lo como ele é." Embora sintamos neste mundo a presença de Deus, mesmo que experimentemos Sua ajuda, Sua bondade e amor, nunca O vemos como Ele de fato é. Vê-lO será indescritível glória! Não pense que Jesus é como você O experimentou, pois Ele é infinitamente mais glorioso, maior e mais excelso. Nossa luta maior nesta época é – pela fé – poder entrar nesse descanso glorioso. Não esqueçamos que o primeiro dia do homem aqui sobre a terra foi um dia de descanso. Depois veio a inquietação do pecado, e eis que Deus criou um novo descanso, e isto por meio de Jesus Cristo. O primeiro dia na eternidade será descanso glorioso por meio de Jesus Cristo para todos aqueles que foram salvos por meio da obra de Jesus consumada na cruz do Calvário!

sábado, 16 de junho de 2012

"Visto, pois, que os filhos têm participação comum de carne e sangue, destes também ele, igualmente, participou, para que, por sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte..." Hebreus 2.14


Isso não quer dizer outra coisa do que Jesus Cristo, o eterno Filho de Deus, ter se identificado com a morte. Ele mesmo lutou com a morte. Não com a morte que quis matá-lO, mas pura e simplesmente com o obscuro e terrível poder da morte; Jesus venceu tirando-lhe o poder e a força que exercia. Paulo diz: "O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei."
A lei de Deus torna o pecado terrível e nos acusa; o aguilhão da morte é o pecado que nos separa de Deus. Mas, assim mesmo, o apóstolo exclama triunfantemente: "Tragada foi a morte pela vitória." Por isso, Paulo pode testificar também que, para ele, a morte não significa mais morte: "Tendo o desejo de partir e estar com Cristo." Certamente muitos leitores concordarão com esse "desejo de partir", mas existe a dúvida: "Será que isso tudo é realmente verdade?" Se há essa dúvida em seu coração, você deve se envergonhar, pois o Senhor Jesus prometeu a vida eterna a todos os que se arrependerem genuinamente: "...hoje estarás comigo no paraíso."

Parlamentares evangélicos vão cobrar da presidente Dilma compromisso de campanha no qual ela prometeu não legalizar o aborto

Parlamentares evangélicos vão cobrar da presidente Dilma compromisso de campanha no qual ela prometeu não legalizar o aborto
Uma proposta que está em discussão no Ministério da Saúde, que pretende implantar umapolítica de redução de danos e riscos para o aborto ilegal, está causando fortes reações entre os parlamentares evangélicos. Parlamentares como o deputado João Campos (PSDB-GO), presidente da Frente Parlamentar Evangélica já manifestaram seu descontentamento com a proposta, e agora os evangélicos afirmam que vão cobrar da presidente Dilma uma postura sobre o assunto pautada em um compromisso que ela assinou durante a campanha eleitoral.
Em 2010 a então candidata Dilma Rousseff assinou uma carta, comprometendo-se em não tomar medidas em direção à legalização do aborto em seu governo, caso eleita, e afirmou ser pessoalmente contra a prática.
Diante desse cenário, Campos afirmou através de seu perfil no Twitter que os parlamentares evangélicos iriam cobrar da presidente seu compromisso em não tomar iniciativas sobre o assunto.
O deputado afirmou também que a Frente Parlamentar Evangélica vai propor a criação de uma CPI para investigar clínicas, o comércio de remédios abortivos e o financiamento do aborto.
Veja abaixo uma reprodução da carta de compromisso assinada pela presidente:
Fonte: Gospel+

sexta-feira, 15 de junho de 2012

VIGÍLIA DE ORAÇÃO NESTE SÁBADO DIA 16/06



SE VOCÊ PRECISA DE UMA RESPOSTA DE DEUS, VENHA É NESTE SÁBADO DIA 16/06
DÁS 21:00 ÁS 23:00, VIGÍLIA DE ORAÇÃO.
IGREJA EVANGÉLICA LIBERDADE E VIDA, RUA DA FELICIDADE Nº 117 BAIRRO SOBREIRA
AFOGADOS DA INGAZEIRA-PE
 BUSCAI AO SENHOR ENQUANTO SE PODE ACHAR IS 55-6